OS CINCOS SENTIDOS

Introdução

Os cinco sentidos fazem parte de um vasto leque de temas que podem vir a ser trabalhados no jardim de infância.
Usamos os sentidos para conhecer o mundo que nos rodeia.
Decidimos criar este site para que pais, crianças e  educadores possam consultar notas e sugestões de actividades de aprendizagem nesta área.
Este site pretende exemplificar o modo como nós, e outros animais, usamos os sentidos.

O paladar

Já alguma vez pensaste ao que sabem as coisas que comes?
A que é que achas que elas sabem?

Há coisas que são doces.
E que tu, de certeza, gostas muito!!!!!!!
Consegues lembrar-te de algumas?
Vamos ajudar-te!
Os chocolates, os rebuçados, os gelados, os chupas – chupas, o mel...

Há coisas que são salgadas.
E que também deves gostar!
São as batatas fritas, os amendoins, o paio... 

Há coisas azedas...  Há coisas amargas
          
                                                                              
           
Nunca deves provar nada senão souberes o que é! Pode ser venenoso.
Sentimos o gosto com a língua. Quando metemos comida na boca, as  papilas gustativas de partes diferentes da língua detectam gostos diferentes.

                                                                           

A língua também nos diz se a comida está fria ...


                                                                    
                                      ou quente...         

A maior parte dos animais tem o sentido do gosto. Alguns têm papilas gustativas.

                                                                       
             
                                                                      

                        

Quais são os sabores de que tu gostas mais?

                           
                                               Doces? Salgados? Amargos?
                                                                                                 

                 
 topo



A audição

Os ouvidos  servem para ouvirmos os sons que existem à nossa volta. Os sons viajam pelo ar mas não os podemos ver.

                        Existem sons calmos e tranquilos...    

                                                                   



                                                                                                ...e sons barulhentos e desagradáveis.

                                   


A parte de fora do ouvido é a orelha. Apanha os sons e envia-os para um buraco. Este buraco leva  a um túnel que vai até ao interior do ouvido. 

         
                                                                     
                                                                                               

Existem três ossinhos dentro do ouvido que enviam para o cérebro mensagens. Estas chegam através de vias especiais chamadas nervos. Depois o cérebro descobre  o que são os sons.



                          
                                              

  Há animais que ouvem melhor do que as pessoas. Os  cães ouvem muito bem. Até são capazes de ouvir sons que as pessoas não conseguem ouvir.


 
Quando estás constipado não ouves muito bem porque tens os ouvidos tapados. Mas quando ficas  bom ouves logo melhor! 

Existem crianças que são surdas. Isto quer dizer que ouvem muito mal. Usam um aparelho especial que os ajuda a ouvir, estas crianças olham para os nossos lábios para ver o que estamos a dizer.


                                        
Os sons muito altos podem fazer mal aos ouvidos, por isso temos de ter muito cuidado com eles.


Queres adivinhar os sons que estas coisas fazem?

                                                                                          
                                                                            

É através dos olhos que podemos ver tudo o que nos rodeia.

Conseguimos ver coisas que estão muito perto...
... e coisas que estão muito longe.

Dentro do nosso olho há uma lente parecida com uma máquina fotográfica.  A lente foca a luz de modo a formar uma imagem pequenina na parte de trás do olho.

Esta imagem está ao contrário tal como na máquina fotográfica. É o nosso cérebro que   a põe direita.   
         
                                      

A luz entra no olho através de um buraquinho chamado pupila. É a parte preta do olho.   A parte colorida do olho chama-se íris.


Os olhos estão protegidos pelas pálpebras e pelas pestanas. Impedem o pó e a sujidade de entrarem para os olhos.

Ao canto de cada olho há uns buraquinhos pequenos. Daí saem as lágrimas, que são água salgada para lavar os olhos e os conservar limpos.




                      Há coisas tão pequenas que só se podem ver com uma lupa.
Ás vezes são tão pequenas que os nossos olhos não as conseguem mesmo ver. Mas conseguimos vê-las se usarmos o microscópio.

                                                                                        
                                                                                               

Os olhos de algumas pessoas não funcionam muito bem, por isso usam óculos. Os óculos fazem as coisas ficarem mais nítidas. As lentes dos óculos ajudam as lentes dos olhos a focarem bem.
                  

Há pessoas que não conseguem mesmo ver nada. Têm de usar outros sentidos para as ajudarem. Há pessoas que usam bengalas para tactear o chão, outras têm um cão  treinado para as ajudar.
                   
               

Conseguimos ver até bem longe com os nossos olhos, mas se usarmos uns binóculos  conseguimos ver até mais longe.
               
                                                                         
                                                                                      

Adivinha...!!!

Altos palácios
Lindas janelas
Abrem e fecham
Ninguém mora nelas                                        O que é?




Quantos tipos de coisas diferentes és capaz de sentir?

                                               

          Há coisas que ao tacto são duras...
           ... outras fofas.

Há coisas lisas...
... e ásperas

                 Há coisas que ao tacto são secas ou molhadas...

E até viscosas!!!
                    




A sensação que as coisas nos dão quando as apalpamos chama-se textura. Há coisas que têm uma textura diferente por fora e por dentro.


         
Conseguimos sentir as coisas porque temos sensores de tacto na pele.
São pequeninos e estão escondidos na pele.     

Quando tocamos em qualquer coisa os nervos levam mensagens para o cérebro. Então nessa altura o cérebro usa essas mensagens para descobrir
em que é que estamos a tocar.
               

As pessoas que não vêm usam o tacto para as ajudar. Conseguem saber como uma pessoa é mesmo sem conseguirem vê-la. Isto porque o cérebro consegue descobrir o aspecto das mensagens levadas pelos nervos.
         

     Essas pessoas conseguem ler pelo tacto, são umas letras especiais que estão em relevo

                                                          

És capaz de descrever a sensação que estas texturas dão?

                                                                                                         
Adivinha...!!!
               Tens dez amigos certos
Com quem muito bem me dou
               Eles vêm procurar-me
               Eu procurá-los não vou                            O que é?  



  topo


O olfacto
O nosso nariz não só serve para respirar, como também para cheirar. Ele reconhece e descobre cheiros, que podem ser agradáveis ou não.
Nós conhecemos o mundo pelos cheiros, usando o nariz.
                                       
                                                                       
                                                                                  
                                                                       
    As comidas estragadas têm um cheiro horrível. É o alarme do nosso corpo para sabermos que não as devemos comer.

Os bichos também usam o cheiro para saber se outros estão por perto.
Os adultos usam perfume para os outros gostarem de estar perto deles.
Nas cidades grandes, inalamos cheiros maus, tais como, o fumo dos carros e das fábricas.
 
                                                            
                                                                       
    O nariz é como uma caverna. No tecto ficam as membranas olfactivas que captam os cheiros que entram pelo nariz.




Quais são os cheiros que gostas mais?


Poesia : O nariz
     
Eu tenho um nariz de giz
Que toda a gente me diz
Com ares de grande juiz
Que parece uma perdiz
                                                     Mas a perdiz do juiz
                                                     Sempre ouvi dizer que quis
                                                     Transformar-se em codorniz
                                                      Por causa dos imbecis      
Que dizem ao juiz
Tu tens um nariz de giz;
Ora o juiz nunca quis
Ser dono de tal nariz
                                                       E deu-o a um petiz
                                                       Que ainda era aprendiz
                                                       Da caça da codorniz
                                                       E que um destino infeliz
Fez dono de tal nariz
Mas o petiz do nariz
Com o giz desenhou x
Na careca do juiz  .           
                                                Maria Alberta Menéres





 topo


Actividades


Paladar

Actividade 1  “ Ao que é que sabe? “

         
Objectivos : desenvolver o gosto, introduzir as noções de: doce, salgado, amargo e azedo.
Material : vendas; copos de plástico e amostras de sabores
 Descrição da actividade :  Devem estar preparadas várias amostras de sabores, tais como: mel, passas, sumo de uva, pickles, limões, nozes salgadas, paus de sésamo e grãos de chá. Depois devem ser colocados em pequenos copos de plástico. De seguida, deve juntar as crianças a pares, tapar os olhos de apenas um elemento do par, enquanto o outro lhe deve dar um pedacinho de cada amostra a provar. Cada criança deve tentar dizer se é doce; amargo, salgado ou azedo e até identificar a amostra. Posteriormente, os papeis devem ser invertidos para que todas as crianças possam experimentar tais sensações.

Actividade 2 “ A nossa língua “


Objectivos : adquirir conhecimento de que a língua é o órgão que nos permite saborear os alimentos.
Material : lupas
Descrição da actividade : devem-se juntar as crianças a pares e distribuir a cada uma, uma lupa. Depois, deve pedir-lhes que, à vez, abram a boca e ponham a língua de fora, para que os seus pares lhe observem a língua. Podem-se colocar questões como: “ conseguem ver os altos da língua?”- e explicar que é através deles que podemos saber se aquilo que comemos é doce, salgado, amargo ou azedo. Posteriormente, as crianças devem inverter os papeis para que todos possam ver os altos da língua.

        voltar às actividades
  
Audição

Actividade 1 “Latas de agitar”


            Objectivos: Aprender a distinguir vários sons.
Material: Latas de refrigerantes, arroz, moedas, feijões, areia e pedras de pequena dimensão.
Descrição da actividade: As latas devem ser previamente cheias, com os itens acima referidos, sem que as crianças vejam. De seguida devem se passar  cada uma das latas pelas crianças para que elas próprias as possam agitar. Depois, deve pedir às crianças que tentem adivinhar o que cada uma delas tem dentro, pelo som que faz.

        Actividade 2 “O coração”

Objectivos: Adquirir a noção de que o nosso corpo também produz sons.
Material: Estetoscópios.
Descrição da actividade: Primeiramente , deve-se permitir que cada criança ouça o bater do seu próprio coração com um estetoscópio. Depois, deve juntar as crianças a pares para que elas possam comparar o seu batimento cardíaco com o dos colegas.

        voltar às actividades

Visão

      Actividade 1 “As cores”
       
Objectivos: Conhecer novas cores
Material: Três copos de plástico com água colorida (azul, vermelha e amarela); vários copos de plástico vazios; um conta gotas.
Descrição da actividade: Em primeiro lugar, deve-se pedir ás crianças para tentarem adivinhar as cores que irão surgir após a junção das cores primárias em diversas combinações. Para os ajudar, deve colocar questões como :”que cor surgirá se juntarmos o azul e o amarelo? E se juntarmos o vermelho e o amarelo?” As suas previsões devem ser testadas usando a água colorida.


        Actividade 2 “ Que objectos viste?”

Objectivos: Desenvolver a memória visual; desenvolver a psicomotricidade fina.
Material: Um tabuleiro, quatro botões; três pilhas; duas borrachas; três lápis; duas escovas de dentes; e quatro pincéis.
Descrição da actividade: Devem-se colocar objectos de fácil identificação de fácil identificação num tabuleiro e passá-lo pela sala, para que as crianças possam ver o que ela contém. Depois de cada criança ter visto o tabuleiro, deve tapá-lo e pedir-lhes para desenharem aquilo que se lembrarem.

        voltar às actividades

     Tacto  
  
        Actividade 1 “ a caixa do tacto”
  
  Objectivos: desenvolver a sensibilidade táctil, ficar a conhecer várias texturas
Material: caixa de sapatos com buraco feito, rolhas de cortiça, lixa, lã, algodão, pauzinhos, grão, feijão, vários tipos de papéis...
Descrição da actividade : coloca-se à disposição das crianças a caixa com os respectivos materiais. Uma a uma as crianças põem a mão no buraco e têm de adivinhar, pela textura, de que se trata.

        Actividade 2 “ decalca “


Objectivos: Identificar várias texturas, reconhecer os objectos pela sua textura.
Material: vários objectos de diferentes texturas, lápis de carvão, lápis de cera, folhas de papel manteiga...
Descrição da actividade: dividem-se as crianças em pequenos grupos. Cada grupo tem um determinado número de texturas. Pretende-se que cada criança decalque o maior número de texturas possível para assim poder reconhecer a textura decalcada em papel. No fim reúnem-se todas as texturas, para poderem ser comparadas e descobertas pelas crianças.

voltar às actividades

Olfacto

Actividade 1 “A caixa cheirosa”

Objectivos: Desenvolver o olfacto, conhecer os frutos.
Material: Caixas de sapatos e frutos variados.
Descrição da actividade: Primeiramente deve-se fazer vários furos numa caixa de sapatos, colocando lá dentro um cheiro diferente todos os dias. Pode se utilizar frutos como ananás, maças, pêssegos ,cocos, entre outros. Deve-se incentivar as crianças a cheirar a caixa todos os dias, sugerir frutos diferentes para por lá dentro e chamar a atenção para  o diferente cheiro que vai ficando na caixa a cada dia que passa.

Actividade 2 “Potes cheirosos”

Objectivos: Desenvolver o olfacto
Material: potes de vidro com vários ingredientes com cheiro.
Descrição da actividade: Deve se reunir uma série de potes de vidro com diferentes produtos com cheiros, tais como: limão, alho, hortelã, mostarda, vinagre, entre outros. Depois deve-se solicitar às crianças que tentem identificar o cheiro. As crianças devem cheirar um pote de cada vez e falar sobre ele logo de seguida; Estes devem estar forrados de modo a que as crianças não vejam que está lá dentro, pois só podem utilizar o olfacto.

0 comentários:

Postar um comentário